Bolsa volta a 77 mil pontos; o dólar bate em R$ 5,30

20/04/2020



Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, abriu em queda expressiva nesta segunda-feira, após a queda do petróleo e desentendimentos políticos dos últimos dias. O Ibovespa, principal índice brasileiro, chegou a cair?mais de 2% nos primeiros minutos após a abertura, e retorna ao patamar de 77?mil pontos. Às 12h29, a Bolsa caía 1,27%.  

dólar abriu em?alta em meio à valorização predominante no exterior ante divisas principais e outras moedas emergentes, as fortes quedas do petróleo e a piora no cenário político doméstico no fim de semana.  

Perto de 11h30, o dólar atingiu seu valor máximo no dia, R$ 5,30. Às 12h29, a moeda era cotada a R$ 5,29  

Contudo, o mercado pode ficar volátil durante o dia, com melhora eventual, a depender do humor no exterior e se o Banco Central voltar a injetar liquidez.  

Na sexta-feira, após o dólar estressar na parte da manhã, o BC vendeu US$ 500 milhões via oferta nova de swap cambial e o dólar encerrou em queda de 0,38%, a R$ 5,2369, mas na semana passada ainda acumulou alta firme de 3%.  

A pauta do Congresso segue no foco após o presidente Jair Bolsonaro tecer críticas?contra o Congresso e o STF no domingo. O "Orçamento de Guerra", que prevê a possibilidade de compra de ativos pelo Banco Central, foi aprovado em dois turnos no Senado com mudanças, na sexta-feira, o que fez o texto voltar à Câmara.  

Além disso, por causa do acirramento dos ataques do presidente Jair Bolsonaro ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, (DEM-AP), sinalizou que deve deixar a MP Verde e Amarelo fora da pauta, permitindo que o texto caduque nesta segunda-feira 

Se a MP caducar ou for rejeitada, o governo não poderá reeditar uma medida provisória sobre o mesma tema neste ano. A saída seria o governo reeditar a MP até terça, 21.  

No sábado, Bolsonaro chegou a dizer que acredita que a medida seria votada e que Alcolumbre é seu "chapa". Mas, no domingo, o presidente voltou a atacar o Congresso, além do Supremo Tribunal Federal, pregando o fim da "patifaria" em ato que reuniu manifestantes favoráveis a um novo AI-5, com volta da ditadura, em frente ao Quartel General do Exército em Brasília, no Dia do Exército.  

“Nós não queremos negociar nada.(...) Agora é o povo no poder", gritava Bolsonaro ao público presente no domingo. A atitude de Bolsonaro gerou protestos entre parlamentares, governadores e no Judiciário. Governadores divulgaram uma carta de apoio a Maia e Alcolumbre 

Juízes avisaram que "não admitirão retrocesso institucional" e os militares também reprovaram a participação de Bolsonaro em ato antidemocrático. Na noite do domingo, Bolsonaro publicou montagem que chama Maia de "mentiroso" em seu canal no YouTube 

Nesse ambiente tenso, a pauta do Congresso pode ficar pendurada. Os mercados locais também digerem a fala do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que em entrevista no domingo ao SBT garantiu que o sistema bancário brasileiro é sólido, mas afirmou que as oscilações e a volatilidade do mercado financeiro no quadro atual formam uma "neblina" para a perspectiva do Copom para a política monetária.  

Campos Neto ressaltou que a próxima reunião, em maio, levará em conta vários fatores e sinalizou que mais cortes de juros podem não ser a solução.  

"Se o mercado tiver uma situação em que o movimento de juros faça com que você tenha um efeito lá na ponta diferente do que você gostaria, então você não deu o remédio correto para aquela doença. Acho que aí é onde mora o debate 

A agenda da semana é mais fraca e terça-feira os mercados no Brasil vão fechar por causa do feriado de Tiradentes. O destaque local é o dado do setor externo em março, na sexta-feira. Nos EUA, haverá divulgação do índice de gerentes de compras (PMI) composto (preliminar) de abril, na quinta-feira, e o índice de sentimento do consumidor (final), na sexta-feira.  

Entre os balanços do primeiro trimestre estão os da IBM, segunda; Coca-cola, Netflix e BHP Billiton, na terça-feira; Alphabet (Google), na quarta-feira; Credit Suisse e Amazon, na quinta-feira.  

Na Europa, está previsto o índice de confiança do consumidor da zona do euro (preliminar) de abril, na quarta-feira, além dos índices alemães de confiança do? consumidor de maio, na quinta-feira, e o IFO de sentimento das empresas de abril, na sexta-feira.  

No exterior, investidores monitoram o noticiário sobre coronavírus e a potencial reabertura das economias, resultados corporativos e também um anúncio do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) de corte na taxa de referência dos juros para empréstimo, em nova medida para estimular a economia do país.  

PBoC informou que a taxa de empréstimo (Prime Rate) de um ano foi reduzida de 4,05% no mês anterior para 3,85%, enquanto aquela para cinco anos passou de 4,75% a 4,65%. (de O Estado de S. Paulo)