BLOG

Dólar cai mais de 1% e as ações de estatais disparam

02/10/2018

Dólar cai mais de 1% e as ações de estatais disparam


O dólar comercial opera com queda de 1,41% ante o real na manhã desta terça-feira, negociado a R$ 3,962. Este comportamento da moeda é motivado, principalmente, por fatores internos. Os investidores reagem à mais recente pesquisa de intenção de voto para a corrida presidencial .

Nos números divulgados na noite desta segunda, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) avançou e agora tem 31% da preferência do eleitorado, enquanto Fernando Haddad (PT) se manteve nos 21%.

Na Bolsa de Valores, o dia também é de ganhos. O Ibovespa, principal índice do mercado de ações brasileiro, avança 2,82%, aos 80.839 pontos. Bancos e estatais operam com ganhos, contribuindo para a alta.

O acordo comercial firmado entre Canadá, México e Estados Unidos também contribui, embora em menor escala, para o alívio no câmbio. Os dois países da América do Norte chegaram a um consenso para renovar o Acordo Norte-americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês). Os dois países e o México vão atualizar o acordo, que data de 1994 e que será rebatizado como Acordo Estados Unidos-México-Canadá.

Os resultados deste pregão são motivadores porque os investidores consideram o candidato do PSL alinhado com as reformas econômicas defendidas pelo mercado, enquanto o candidato do PT não é visto da mesma maneira.

Bancos e estatais disparam. Nesta terça, as ações negociadas no Ibovespa têm ganhos significativos. O setor bancário, de maior composição no índice, opera com valorização nesta manhã. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) do Banco do Brasil e do Bradesco sobem 6,06% e 3,04%, respectivamente. Os papéis do Itaú Unibanco avançam 3%.

As estatais também contribuem para a alta da Bolsa. Os papéis ON da Eletrobrás disparam e registram ganhos de 6,86%. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) e ON da Petrobras têm valorização de 5,19% e 4,25%, respectivamente.

Com a queda do dólar, entretanto, as exportadoras têm perdas. As ações da Suzano e da Fíbria caem 2,08% e 0,55%, respectivamente.  (de O Globo)





Cursos