BLOG

Governo pode liberar saque do FGTS de quem está trabalhando

30/05/2019

Governo pode liberar saque do FGTS de quem está trabalhando


Após a queda de 0,2% do PIB no primeiro trimestre , o ministro da Economia, Paulo Guedes , disse que o governo estuda liberar os saques de contas ativas do FGTS , ou seja, do emprego atual de quem está trabalhando.

A medida é um das ações em avaliação para estimular a economia e poderá entrar em vigor após a aprovação da reforma da Previdência. Guedes também disse que a reforma vai destravar investimentos e confirmou a liberação dos saques do PIS/Pasep, independentemente da idade do beneficiário. Ele espera que a economia volte a crescer a partir do segundo semestre.

‘“Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS. Muito em breve, assim que saírem as reformas. O problema é que se você abre essas torneiras sem as mudanças fundamentais, é o voo da galinha. Voa três, quatro meses, porque liberou e depois afunda tudo outra vez. Mas na hora que fizer as reformas fundamentais e, aí sim, libera isso, é como se fosse aquela chupeta de bateria. A bateria está parada, você dá a chupeta, mas com a certeza de que o carro vai andar. Não pode ficar e dar uma chupeta, anda três metros e para tudo outra vez — disse o ministro após uma reunião com ministros do partido Novo.

Mais cedo, a líder do governo no Congresso, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), minimizou o recuo do PIB , afirmando que o resultado é "absolutamente compreensível" porque o governo ainda não conseguiu aprovar a reforma da Previdência no Legislativo.

Perguntado se a medida envolveria a liberação das contas ativas, o ministro confirmou. “É a liberação de contas inativas lá atrás, as pessoas podem buscar o recurso. Inativas e ativas”, disse Guedes, afirmando que o martelo ainda não foi batido.

Em uma tentativa de reanimar a economia, o governo federal decidiu reabrir a autorização para saques a quem tem cotas de PIS e Pasep, independentemente da idade do beneficiário. O anúncio oficial estava previsto para ser feito ainda neste mês, segundo integrantes da equipe econômica. Ainda não foi definida, porém, a data de início da retirada dos recursos nem o calendário de saques.

O IBGE divulgou nesta quinta-feira que, depois de dois anos seguidos em expansão, a economia brasileira voltou a ficar no terreno negativo no primeiro trimestre deste ano. A queda do PIB, depois de um período de fraco crescimento — a economia cresceu só 1,1% em 2017, e repetiu essa baixa expansão em 2018 — já leva alguns economistas a avaliarem que o país vive um quadro contínuo de estagnação e outros a não descartarem o risco de o Brasil cair numa depressão. (de O Globo)





Cursos