BLOG

Guaidó recebe apoio militar e pede que população vá às ruas

30/04/2019

Guaidó recebe apoio militar e pede que população vá às ruas


O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, disse nesta terça-feira que recebeu apoio das Forças Armadas e conclamou a população a ir às ruas para derrubar o presidente Nicolás Maduro.

"Neste momento, me encontro com as principais unidades militares de nossas Forças Armadas, iniciando a fase final da Operação Liberdade. Povo da Venezuela, vamos para as ruas", escreveu em sua conta oficial no Twitter.

"A Força Armada Nacional tomou a decisão correta, conta com o apoio do povo da Venezuela, com o aval de nossa constituição, com a garantia de estar do lado certo da história", afirmou Guaidó, que é reconhecido pelos Estados Unidos e outras potências como presidente do país. "Povo da Venezuela, é necessário que saímos juntos às ruas para apoiar as forças democráticas e recuperar a nossa liberdade", escreveu Guaidó.

A oposição venezuelana já prometia a realização de grandes manifestações contra Maduro na quarta-feira, 1º de maio -– internacionalmente celebrado como o Dia do Trabalhador.

Em um vídeo postado minutos antes da mensagem, também em sua conta no Twitter, Guaidó faz a mesma conclamação na companhia de homens em uniforme militar e o político de oposição Leopoldo López, o líder do partido Vontade Popular, que estava em prisão domiciliar.

"Hoje, valentes soldados, valentes patriotas, valentes homens apegados à Constituição ouviram o nosso chamado", diz ele, suspostamente da base aérea La Carlota, em Caracas.

Pelo Twitter, Leopoldo López disse que foi libertado por militares por ordem de Juan Guaidó. "Fui libertado por militares por ordem da Constituição e do presidente Guaidó. Estou na base La Carlota. Rodos mobilizados. É hora de conquistar a liberdade", afirmou o político em sua conta.

Ainda não se sabe como se deu a libertação de López, que também divulgou imagens e o vídeo ao lado de Guaidó, e qual é a extensão do apoio dos militares venezuelanos aos opositores de Maduro.

Maduro responde. O ministro da Defesa da Venezuela, general Vladimir Padrino López, rechaçou a convocação de Guaidó, afirmando que as Forças Armadas "se mantêm firmes na defesa da Constituição Nacional e de suas autoridades legítimas".

"A FANB [Força Armada Nacional Bolivariana] se mantém firme na defesa da Constituição Nacional e de suas autoridades legítimas. Todas as unidades militares implantadas nas oito Regiões de Defesa Integral relatam normalidade em seus quartéis e bases militares, sob o comando de seus comandantes naturais", escreveu em sua conta no Twitter.

"Rechaçamos esse movimento golpista, que pretende encher de violência o país" , afirmou o ministro da Defesa da Venezuela. "Os pseudo-líderes políticos que se colocaram na linha de frente desse movimento subversivo usaram tropas e policiais com armas de guerra em uma via pública na cidade para criar ansiedade e terror."

"São covardes! Permaneceremos firmes em defesa da ordem constitucional e da paz da República, assistidos como somos por lei, a razão e a história. Leais sempre, traidores nunca!", escreveu Padrino López. (do Valor Econômico)





Cursos