BLOG

Ibovespa ensaia melhora mas deve ter a 1ª queda semanal

08/02/2019

Ibovespa ensaia melhora mas deve ter a 1ª queda semanal


A bolsa paulista ensaiava uma melhora nesta sexta-feira, 8, após abertura mais negativa, em movimento apoiado no avanço dos papéis de bancos, enquanto Vale pesava negativamente após notícias sobre alerta em nova barragem em Minas Gerais e fechamento de terminal portuário operado pela mineradora.

O clima no pregão brasileiro também era pressionado pela deterioração da perspectiva econômica global, bem como apreensões com a frágil relação comercial entre Estados Unidos e China, principalmente após o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmar que não tem planos de se reunir com o colega chinês Xi Jinping antes do prazo definido entre os dois para um acordo.

Perto do meio dia, o Ibovespa subia 0,62%, a 94.990,93 pontos, com volume financeiro que somava R$ 2,47 bilhões. O índice caminhava para o primeiro desempenho semanal negativo desde a terceira semana de dezembro do ano passado. No mercado de câmbio, o dólar diminui o ritmo de queda a 0,16%, negociado a R$ 3,71, após cair na mínima a R$ 3,7037 (-0,40%) mais cedo.

O ajuste mais recente coincidiu com declarações do secretário de Previdência, Rogério Marinho. Segundo ele, a reforma deve ser anunciada entre os dias 19 e 21 deste mês. Os investidores também monitoram a saúde do presidente Jair Bolsonaro.

Para um operador, a alta do índice reflete um ajuste dos últimos dias, mas nada que indique tendência. "Apesar do quadro ruim lá fora, nada mudou por aqui. A expectativa com relação à reforma da Previdência continua. É apenas uma tentativa de recuperar o que perdeu", diz.

Em evento no Rio, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que sistema previdenciário é uma fábrica de desigualdade e que o primeiro grande gasto é o da Previdência, segundo juros e terceiro é a máquina pública.

Já o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, disse que o banco está pronto para ajudar o governo a levar adiante o projeto de reduzir o papel do estado na economia, e lembrou a recente venda das distribuidoras deficitárias da Eletrobrás, no ano passado, como exemplo de sucesso. (de O Estado de S. Paulo)





Cursos