BLOG

Operação da PF apura propina a Delfim Netto em Belo Monte

09/03/2018

Operação da PF apura propina  a Delfim Netto em Belo Monte


Alvo da Operação Buona Fortuna, 49ª fase da Lava-Jato deflagrada nesta sexta-feira em São Paulo e no Paraná, o economista Antonio Delfim Netto é suspeito de receber parte de vantagem indevida direcionada ao PT e ao MDB na obra da usina hidrelétrica de Belo Monte.

"As provas indicam que o ex-ministro recebeu 10% do percentual pago pelas construtoras a título de vantagens indevidas, enquanto o restante da propina foi dividido entre o PMDB e o PT, no patamar de 45% para cada partido", afirmou o Ministério Público Federal (MPF) em nota.

Endereços do economista e do sobrinho dele, o advogado Luiz Appolonio Neto, em São Paulo, são alvos de mandado de busca e apreensão. Ao todo, a Polícia Federal (PF) cumpre cinco mandados de busca e apreensão em São Paulo e quatro em Curitiba, no contexto de apurar suspeitas de pagamentos de propinas em contratos de construção de Belo Monte.

Os mandados foram autorizados pelo juiz federal Sergio Moro. (do Valor Econômico)





Cursos