BLOG

Os millennials transformam relação com setor financeiro

21/09/2018

Os millennials transformam relação com setor financeiro


Nada mais digital e conectado à internet que a geração dos millennials. Instantaneidade, interatividade e fácil acesso são fatores fundamentais para os que possuem aspectos de suas vidas ligadas ao celular ou ao computador.

No caso do mercado financeiro, a geração tem revolucionado o setor nos últimos anos. Aspectos dos mais variados foram adaptados para atrair um público que não tem tempo a perder e está longe de fazer uma visita a uma agência bancária.

De acordo com a agência Cantarino Brasileiro, 59% dos usuários dos bancos digitais possuem até 29 anos. Entre os motivos que atraem a geração, estão questões como agilidade, conforto, disponibilidade,  facilidade e interatividade eletrônica para resolver todas as questões sem ter de ir a uma agência bancária.

"O que eu mais procuro em um banco é agilidade. Quando preciso fazer algo, é tudo na hora. Confesso que não consigo imaginar, diante da velocidade que é a minha vida atualmente, ter que parar para separar documentos ou sacar dinheiro e ter que ir a uma agência bancária para realizar uma operação — disse o advogado Heitor Maia, de 28 anos, sócio do escritório Faria, Cendão & Maia Advogados.

O resultado da agilidade que Heitor e outros tantos millennials cobram é a mudança de perfil das instituições e operadoras do mercado financeiro. Casos como, por exemplo, da operadora de cartões de débito e crédito Visa, que aliou a utilização por parte dos clientes a projetos sociais escolhidos pelos próprios usuários, repassando valores a ações que são selecionadas, ou do banco Next, ligado ao Bradesco, com foco no tratamento digital.

“Percebemos a oportunidade de entregar uma proposta diferente a esses clientes. Ser uma plataforma que privilegia a experiência, a instantaneidade. A ideia é entregar soluções de vida — disse Jeferson Honorato, superintendente executivo do Next.

Selfie vira ‘senha’ . Outra ferramenta direcionada para a geração dos millennials tem sido adotada pelo banco digital “Neon”. Para evitar a utilização de números de cartões e senhas, a interface das compras feitas pela internet adotou um jeito único para que cada usuário finalize suas aquisições.

“As fraudes são comuns nos casos das compras pela internet. O Neon, pensando em tornar única essa autorização para compra, criou uma ferramenta que libera a compra somente com o envio de uma ‘selfie’ do cliente”, lembrou Taciana Lopes, diretora de marketing da Visa.

Segundo a executivo, a nova geração “obrigou” a empresa a criar novos canais de interação com os clientes:

"Há dois anos, o único canal de atendimento era via e-mail. Para a geração Y não funciona dessa forma. Adotamos um chat via Facebook que recebe os casos e consegue dar respostas apuradíssimas.

Bancos no aplicativo. Da família aos amigos, são comuns os casos de conhecidos que estão enrolados em função dos diversos cartões de crédito ou débito que possuem. Ter conta em mais de um banco não garante complicações futuras, mas pode resultar em desorganização financeira de quem aproveita as facilidades criadas pelos bancos para ter acesso rápido a créditos.

De olho nas diversas variedades de produtos oferecidos pelo mercado financeiro, a desenvolvedora Quanto pretende anunciar, ainda neste ano, a criação de um aplicativo que vai reunir todas as contas bancárias do usuário em um único lugar, independentemente da instituição utilizada.

“Nossa previsão é de ter, até meados de 2019, algo em torno de 80% dos usuários dos bancos conectados na nossa plataforma. Poder ver suas contas em um único lugar é a próxima evolução. É poder movimentar a sua vida por um único sistema — disse Ricardo Taveira, CEO e fundador da Quanto, que completou:

“Vamos juntar todos em uma única plataforma. A ideia, no futuro, é lançar o primeiro cartão de débito multicontas do mercado.

“Entender o millennial é o desafio”, diz João Pedro Brasileiro, diretor da Cantarino Brasileiro.

“No Brasil, nos últimos três anos, tivemos um considerável crescimento. Temos tecnologias que estão aí exatamente para auxiliar a melhor entrega de serviços. As startups, sejam financeiras ou não, estão olhando para isso.

A tecnologia veio para facilitar o dia a dia. As instituições financeiras desenvolvem seus sistemas visando informar e até entreter o usuário, que também busca a melhor forma de investir e gerir suas finanças. Um dado que já é clichê, mas verdadeiro: mostra que mais de 70% dos jovens preferem ir ao dentista do que a uma agência bancária. (de O Globo)





Cursos